Chaos around me!
E eu penso em meus caminhos, penso nos meus dias e sei que eu mudei!
refresh   ask me   submit         

Acho que as divergências são características cósmicas. Destino, essa ironia toda e a canção dos smiths no fundo daquela cena distorcida, aquele verão de 1984, um sonho quase esquecido. Respirando fundo e inalando a fumaça daquele garoto singular, no fundo da serra do mar, buscando o colorido que podia te cegar, foi lá que vimos essa guerra começar. O tempo passa e 20 já não é mais 16, muito menos 30 se transforma em 26. E a magia de 84 nunca será como a ironia de 93, quando colidiram e persistiram na ideia de buscar em 87 o que só 6 anos depois se fez criar. Loucura, insanidade, lágrimas e levianidade. Ela se pergunta porque nunca abriu e ele se pergunta porque deixou fechar. Caíram no burraco da perdição, estão no limbo, 90 anos de razão. 91 voltou e veio resgatar o que os sonhos decidiram soterrar, é a ano de reeinvindicar todas as escolhas que o medo te fez guardar.

Pseudo Despedida

Foi uma madrugada intensa, nunca foram tantos os devaneios, os desejos, os medos, os textos, os pedidos de socorro… Pensei que nunca mais fosse capaz de dormir e se fosse não mais seria capaz de acordar, mas em meio ao caos, em meio a todas as frases engasgadas, os pensamentos, sentimentos omitidos, escondidos nesse armário abarrotado de coisas que sou, o silêncio há tantos dias ausente, chegou com uma dose gentil de ansiolítico e me levou para longe, adormeci ali em meio ao caos, em mais um surto emocional. Acordei com a sensação de ressaca mental, tudo doía, principalmente o pensar. Como dói pensar, como dói tentar parar de pensar! Pensar que o tempo está aí, passando diante de mim, arrastando com ele tudo o que eu gostaria de sentir, provar, mas nunca tenho tempo de tentar. Pensar que tudo só ocorre uma única vez. Foi uma madrugada de reflexões pesadas, duras de se aguentar, reflexões de tempo e vida que eu nunca havia tentado aprofundar. Quase me despedi, quase disse para mim mesma que estava ciente e iria partir. Quase escrevi para todas as pessoas que significaram, que me ensinaram a me importar ou será me portar? Bem, quase parti, mas permaneci na orla desse furacão que sou. Foi apenas uma pseudo-despedida, uma crise comum como outras que já tive, apenas um sinal de que a temporalidade se faz presente, mas um motivo para acreditar que minha finitude começa a me cobrar a presença e ao mesmo tempo, decretar minha sentença. 

You don’t have to be so down, everyone can hear you in this whole damn crowd. You don’t have to try so hard, I think they got the message, you were out of your mind. It’s not so good to see you this upset, but the next generation will forget!”
Slow Animals - The Strokes
Recomeçar

Recomeçar não é se esquecer do passado, mas sim se livrar das amarras que te impedem de viver o presente. É se libertar das memórias, dos desejos, dos medos e receios que com o tempo se acumularam, que com o passar dos dias te fizeram cair em uma crise comum, tão comum que você passa a acreditar que nunca mais irá sair daquela sensação, daquele momento que se repete, que te afoga em nostalgia. Recomeçar não é fingir que nada aconteceu, é aceitar que tudo mudou e continuará mudando. É  aceitar que o tempo não para e por isso, você também não pode parar. Recomeçar é existir, é buscar um novo motivo para sorrir.